• 4 rotas de moto que você precisa conhecer

    Publicado por: Túlio de Mello
    02 de outubro de 2017

    Pessoa em cima de uma moto parada com os braços abertos

    O Brasil é conhecido por ser um dos melhores países para se fazer rotas de moto. Não só pelas suas belezas naturais e relevo privilegiado, mas também pelos percursos desafiadores que deixam os aventureiros sobre duas rodas ainda mais empolgados.

    São caminhos íngremes, rochas antigas, curvas sinuosas e, claro, paisagens deslumbrantes que deixam a rota muito mais divertida.

    Por isso, elaboramos uma lista com 4 lugares incríveis para os motociclistas que gostam de se aventurar em rotas de moto. Confira e já comece a planejar a sua próxima aventura!

    1. Serra do Rio do Rastro: paisagens estonteantes com direito a neve

    Imagem aérea de uma estrada com várias curvas

    Localizada a 220 km de Florianópolis, em Santa Catarina, a Serra do Rio do Rastro é um dos pontos mais procurados pelos amantes de rotas de motos no Brasil.

    Ao todo, são 34 km de percurso interligando as cidades de Lauro Müller e Bom Jardim da Serra — esta guarda ainda uma vista impressionante do topo da serra, a 1.460 metros de altitude.

    Além das 284 curvas sinuosas no trecho, a trilha da Serra do Rio do Rastro também tem o diferencial de estar em um dos lugares mais ricos em beleza natural. No inverno, a região fica coberta por gelo e, às vezes, é possível até ver a neve.

    Já no verão, o verde da Mata Atlântica salta aos olhos dos viajantes. O interessante é que, independentemente da época que a rota for feita, sempre haverá paisagens deslumbrantes para apreciar.

    2. Chapada da Diamantina: rotas de moto para todos os gostos

    Imagem de cachoeira no meio da natureza

    O Parque Nacional da Chapada da Diamantina, na Bahia, é reconhecido nacionalmente por suas cachoeiras, cavernas e formação geológica deslumbrante. Mas é lá, também, um dos pontos preferidos para a prática de trilha de motos.

    Os trechos estão localizados em lugares com um relevo privilegiado e podem ser percorridos no tempo que você desejar. Nossa dica é para que você reserve, em média, em 3 a 6 dias, para aproveitar diversas atrações que o local oferece. É interessante observar que na Chapada da Diamantina há vários tipos de percursos para os mais diferentes estilos de motociclistas. Portanto, pesquise antes quais deles faz parte do gosto.

    3. Pedra do Sino: um olhar privilegiado sobre o Rio de Janeiro

    Paisagem com morros altos

    Dentro da Serra dos Órgãos, na região serrana do Rio de Janeiro, está a Pedra do Sino — um dos pontos de encontro entre os aventureiros. Quem já passou pelo local sabe que os 11 km de trajeto reservam surpresas emocionantes.

    Equipamentos, como capacetes, jaquetas, botas, calças e outros acessórios de proteção são essenciais para os motociclistas que desejam se aventurar pelo trecho.

    O diferencial é poder visualizar, a partir de outra perspectiva, paisagens conhecidas, como a Baía de Guanabara, a cidade do Rio de Janeiro e até a cidade de Niterói. Além disso, também há pontos famosos da região, como o Dedo de Deus, o Dedo de Nossa Senhora e o Escalavrado, que enchem os olhos dos viajantes.

    4. São Sebastião das Águas Claras, em Minas Gerais

    paisagem em cima de um morro com diversas nuvens

    E, por fim, uma das rotas mais consagradas entre os praticantes da modalidade é a de São Sebastião das Águas Claras, em Minas Gerais.

    A cidade, também conhecida como Macacos, fica próximo de Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte. O trecho mais famoso é o que liga a capital mineira até o centro de Macacos.

    O percurso é repleto de cascalhos, pedras soltas, morros íngremes e riachos. O que o faz ser considerado bastante difícil por quem já passou por lá.

    Essas são algumas das várias opções de rotas de motos existentes no país. Para quem ainda é iniciante no assunto, é importante sempre se informar e se preparar com o que tem de melhor no mercado de motocicletas, pois só assim a aventura poderá ser completa.

    E aí? Ainda está em dúvida para onde ir? Então compartilhe este post nas suas redes sociais e peça ajuda aos seus amigos aventureiros!


    Escrito por

    Túlio de Mello

    Túlio de Mello

    Especialista em Gestão Estratégica e E-business da Riffel