• Quais as perspectivas para o mercado de motos ainda neste ano?

    Publicado por: Túlio de Mello
    26 de setembro de 2016

    Fileira de motos novas em uma loja

    O desaquecimento da economia brasileira trouxe poucas perspectivas para o mercado de motos, varejo e indústria. Os índices de desemprego e a queda no poder econômico preocupam lojistas e empresários, que buscam novas soluções para dar a volta por cima e alavancar os resultados nesse segundo trimestre de 2016.

    Apesar das dificuldades vividas por muitos, alguns mercados estão projetando números mais otimistas para este ano, dentre eles está o mercado das motocicletas. Confira agora um pouco mais sobre as perspectivas para o mercado de motos ainda para este ano!

    Ascensão ou queda?

    Nos últimos dois anos, a produção e venda de motos no Brasil caiu consideravelmente. Os efeitos da crise econômica brasileira fizeram com que houvesse redução de 15% na produção de veículos de duas rodas em 2015, se comparados aos índices de 2014.

    As exportações em 2015 também recuaram significativamente em relação ao ano anterior e o mercado acendeu a luz amarela. Porém, de acordo com a ABRACICLO (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas), as projeções para 2016 são melhores e os números devem superar os índices alcançados em 2015.

    A projeção da ABRACICLO é de que sejam produzidas 10 mil motos a mais do que o ano passado. Apesar de ser uma elevação tímida, o crescimento pode representar o fim de um ciclo de quedas. O que seria bom tanto para as montadoras quanto para os lojistas, que trabalham com venda de motopeças, vestuário especializado e acessórios.

    Apesar das projeções otimistas, o mercado parece não responder da maneira esperada, já que as quedas de venda e produção continuam a figurar no noticiário especializado.

    Quais as perspectivas para o mercado de motos?

    Em relação à venda de carros, o índice das motocicletas teve um desempenho superior. Uma das razões que pode estar por trás da elevação neste ano é a diminuição do poder de compra da população, algo que reflete na troca do carro pela moto. Por serem veículos mais baratos e econômicos, muitos brasileiros podem trocar as quatro pelas duas rodas em breve.

    Além do preço do veículo, a alta no valor dos combustíveis e a diminuição na concessão de crédito podem alavancar a produção de motocicletas no Brasil. O fato das maiores montadoras de motocicletas manterem fábricas no Brasil também auxilia na manutenção do preço mais baixo.

    Quais os modelos mais procurados?

    Dentre os modelos que estão em alta, destacam-se as motos de baixa cilindrada, como a tradicional CG 150 da Honda e a YBR da Yamaha. As scooters também estão ganhando seu espaço nas ruas brasileiras, tanto que as montadoras tendem a investir neste tipo de modelo nos próximos anos.

    Outra mudança sentida pelo mercado está atrelada às alterações na legislação de veículos de baixa cilindrada. Isso fez com que as motos (o termo mais apropriado é ciclomotores) de 50cc, as famosas cinquentinhas, ganhassem ainda mais espaço no mercado.

    O crescimento das cinquentinhas foi tão forte que a chinesa Shineray passou a Yamaha. Assim tornou-se a segunda marca com mais vendas em 2016, atrás apenas da Honda, que reina absoluta no mercado de duas rodas no Brasil.

    As projeções são positivas?

    Apesar de números não muito animadores, vale lembrar que as projeções para o fim deste ano e começo de 2017 já são melhores, principalmente passado o período de maior turbulência na política nacional, algo que reflete nos índices econômicos.

    Mesmo diante de um desaquecimento, o Brasil ainda é um dos países que mais vende veículos motorizados. Isso quer dizer que o segmento mantém certa estabilidade mesmo diante de projeções pouco animadoras.

    Quem opera com o fornecimento de peças e acessórios sabe que nem só de moto zero quilômetro vive o mercado. Portanto, mesmo diante da queda na indústria, o número de motocicletas em circulação ainda é alto, o que garante um público-alvo estável!

    Estas são as perspectivas para o mercado de motos este ano. Quer receber muitas dicas e ficar por dentro de todas as novidades do mercado? Então, curta nossa página no Facebook!


    Escrito por

    Túlio de Mello

    Túlio de Mello

    Especialista em Gestão Estratégica e E-business da Riffel